A conscientização e adequação da população em prol de um sistema eficiente de coleta de resíduos em geral, nem sempre é uma atividade que está no “radar” de todos. Quando se trata de resíduos eletrônicos, isso é mais notável, já que muitos não possuem conhecimentos de como começar a gestão , quais os meios ou por onde “descartar” o seu próprio resíduo eletrônico.

Pensando nisso, as tecnologias em relação ao tratamento de resíduos eletrônicos, trabalham juntos na diminuição do impacto negativo vinculado ao meio ambiente como um todo, sendo assim, resultando em uma qualidade de saúde agradável para a população e gestão correta dos resíduos de lixo.

Além do meio tecnológico, algumas medidas nas empresas já estão sendo adotadas em prol de um sistema melhor. Segundo a nova regulamentação, a nova norma sinaliza que as empresas realizem o recolhimento do seu próprio resíduo eletrônico, afim da destinação correta, independência e manejo dos resíduos.

Mas, o que são considerados Resíduos Eletrônicos?
A categoria REEE (Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos), conhecidos também por lixo eletrônico , são classificados por materiais de origem inorgânica ou “produtos da linha branca”. Por exemplo: máquinas de lavar, refrigeradores, micro-ondas, televisores, computadores, telefones celulares, tablets, drones, pilhas, baterias, cartuchos, toners entre outras peças. Se o acúmulo for excessivo e a retirada não for implementada, os restos de equipamentos em contato direto com meio ambiente, podem ocasionar a poluição já que são componentes prejudiciais à saúde. Outro fator é a contaminação, caso os resíduos permaneçam no local por muito tempo, comprometem os lençóis freáticos, liberando substâncias tóxicas na água, solo e ar.

De quais formas as tecnologias e inovações contribuem para a gestão dos resíduos?
Por meio das ferramentas tecnológicas, é possível gerenciar e monitorar todos os procedimentos de gestão (coleta, armazenagem temporária, remoção de etiquetas de identificação, destinação final e rastreabilidade ambiental), plano de gerenciamento, serviços prestados pelos fornecedores, monitoramento de todos os deveres, relatório de desempenho dos resíduos em relação as empresas, documentação de registros, gestão estratégica da empresa ao gerar gráficos e relatórios automáticos a partir das informações apresentadas, reeducação de como reduzir de lixo para empresa , acompanhamento nas auditorias, adequação, segregação dos produtos para inspeção da RF, entre outros.

Por tanto, com as tecnologias integradas no processo, podemos dizer que toda disposição inicial, tratamento intermediário, final, diminuição de lixo, possibilidade de reutilização ou reciclagem , pode ser realizada através de um recurso feito pela inovação.

Otimização e agilidade nas soluções
Diversas empresas estão buscando a otimização e agilidade da gestão de resíduos, com objetivo de terem uma ferramenta de controle e manutenção para um gerenciamento de qualidade. Sendo assim, se deve não só pela conscientização, mas devido à legislação de resíduos sólidos nº 12.305/10 que tem sido uma norma em destaque por diversas empresas em prol de uma política sustentável.

As plataformas tecnológicas permitem reunir todas as informações da gestão de resíduos, para o acesso da empresa ou poder público, além disso, incentivam meios de destinação a realizarem a limpeza correta e retirada de resíduos.

Investir em tecnologia na sua gestão de resíduos, principalmente na digitalização, otimiza todo processo, reduz significativamente o desperdício e custos dentro da empresa. Outra questão é que a tecnologia auxilia no controle total do gerenciamento, a gerar automaticamente os documentos e relatórios exigidos por lei, a encontrar o melhor preço para destinação, a realizar a gestão de seus fornecedores, entre outros benefícios.

Então, gostou deste conteúdo? Para saber mais detalhes sobre como podemos ajudar seu negócio com a reciclagem de resíduos, entre em contato hoje mesmo!

Open chat
1
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by