Quando o assunto é lixo orgânico, algumas empresas têm em mente do que se trata, porém ao abordar sobre a legislação, sempre há algumas duvidas a respeito da norma e sua destinação correta.

Caso você tenha uma empresa e queira se enquadrar a lei, a fim de garantir um espaço mais sustentável e higiênico, ficar atenta à correta separação e destinação do lixo é um passo importante que deve ser inserido em prática por diversas empresas.

Nesse sentido, é relevante saber identificar cada tipo de resíduo e qual a destinação correta para ele, somente dessa forma que você garante o ambiente perfeito!  

Pensando nisso, no conteúdo de hoje, abordaremos o que é lixo orgânico e por que é crucial cuidar da forma como ele é descartado. Então, acompanhe a leitura e saiba mais!  

O que é lixo orgânico?

Em termos gerais, podemos identificar lixo orgânico como todos aqueles produtos que são derivados diretamente de seres vivos. Por exemplo: restos de carne, legumes, vegetais, madeira, folhas de árvore, resíduos de agroindústria alimentícia, indústria madeireira, frigoríficos entre outros, são enquadrados nessa classificação.  

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, das 250 milhões de toneladas de lixo produzidas diariamente no Brasil, entre 50% e 60% são de lixo orgânico. Sendo assim, estamos falando da maior parte de rejeitos produzidos por residências, indústrias e comércios.   Segundo as definições de reciclagem e rejeitos da PNRS (Art. 3º, incisos XIV e XV), conclui-se igualmente que processos que promovem a transformação de resíduos orgânicos em adubos e fertilizantes (como a compostagem) também podem ser entendidos como processos de reciclagem.

Desta forma, resíduos orgânicos não devem ser considerados indiscriminadamente como rejeitos, e esforços para promover sua reciclagem devem ser parte das estratégias de gestão de resíduos em qualquer escala (domiciliar, comunitária, institucional, industrial, municipal…).  

Onde o lixo orgânico é descartado?

A maior parte do lixo que produzimos vai parar nos aterros sanitários. O terreno desses aterros é impermeabilizado com o objetivo de impedir que o chorume chegue ao lençol freático e contamine os cursos d’água. Ou seja, o chorume é recolhido e tratado.

  O gás metano produzido pelo processo de decomposição da matéria orgânica é recolhido e queimado, o que contribui para que ele se transforme em gás carbônico, diminuindo seu impacto ambiental.  

Nesse ponto, é pertinente lembrar que os aterros sanitários são diferentes dos antigos lixões, que foram proibidos pela Lei nº 12.305, a qual instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Mas, apesar de a lei ter sido aprovada em 2010, ainda existem quase 3 mil lixões funcionando clandestinamente no país.  

O problema é que, nesses lugares, os resíduos não recebem nenhum tipo de tratamento e não existe impermeabilização do solo. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, os lixões impactam na qualidade de vida de 77 milhões de brasileiros. Isso significa que é preciso ficar bastante atento no que diz respeito à contratação de empresas de coletas de lixo, a fim de se certificar de que elas são idôneas e trabalham de acordo com a legislação, dando a destinação correta para o que é lixo orgânico.          

É possível reciclar o lixo orgânico?

Sim, é possível… Mas, vale ressaltar que devido às pessoas não terem o habito de reciclar o lixo orgânico, automaticamente ele não é tratado, dessa forma muitas vezes ele vai parar em aterros sanitários.

O problema nessa ocasião é que algumas substâncias do lixo orgânico acabam sendo prejudiciais à decomposição, já que se trata de um material que gera gás metano, nocivo a atmosfera. Mesmo assim, a melhor forma de reciclar o lixo orgânico produzido por residências, comércios e indústrias, é submetendo-o ao processo de compostagem.

De fato não é a melhor maneira para reciclar, mas é a única que temos. Basicamente, a compostagem acelera o processo de decomposição da matéria orgânica, conseguindo obter um material estável e rico em nutrientes que é utilizado como adubo na agricultura, é como se fosse uma reciclagem, no quais fungos e bactérias transformam lixo em adubo.  

Além disso, é possível produzir energia por meio do biogás liberado pelo processo de decomposição da biomassa do lixo. Porém, essa forma de geração de energia renovável a partir do que é lixo orgânico ainda é empregada em baixa escala no Brasil.  

Por que é importante separar adequadamente o que é lixo orgânico?

Um dos grandes empecilhos para a compostagem do lixo orgânico é o seu descarte incorreto. Ainda são muitos os estabelecimentos comerciais e residenciais que não priorizam a separação do lixo, misturando recicláveis, como copos plásticos e embalagens, com matéria orgânica, como restos de comida.  

Pensando no processo de reaproveitamento do lixo, é fundamental que residências e estabelecimentos comerciais mantenham o que é lixo orgânico separado dos recicláveis e providenciem o descarte correto desses materiais. O cuidado com o descarte adequado do lixo deve ser observado especialmente por condomínios e estabelecimentos comerciais, como bares e restaurantes, que se enquadrem na categoria de grandes geradores de resíduos sólidos.      

Gostou do conteúdo? Para ficar por dentro de mais informações sobre destinação correta de lixo, não deixe de seguir nossa página no Facebook! Até a próxima!

Open chat
1
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by